Façamos o Ser Humano a Nossa Imagem e Semelhança

Façamos o Ser Humano a Nossa Imagem e Semelhança

Eis a grandeza do ser humano, eis a razão de seu esplendor! Ser Imagem e Semelhança de Deus! Somos dotados de aptidões que nos distinguem dos animais, do cosmos; somos dotados de racionalidade de eternidade e agraciados com o melhor de Deus, o dom de si mesmo, o Espírito Santo! (cf Rm 5,5).

Diante dos tempos e exigências atuais, para que tenhamos relacionamentos saudáveis jamais poderemos perder de vistas a dimensão transcendental do homem, isto é, nascido de Deus e voltado para Deus! Partindo desta premissa adentraremos uma série de reflexões acerca da sexualidade, da castidade dos valores que medeiam ou pelo menos deveriam ser basilares na sociedade, tendo em vistas a dignidade do ser humano.

Quando compreendemos a profundidade e a dignidade do ser humano, então recordamos o valor que temos, e ao mesmo tempo vemos como deveríamos nos cuidar. Ficamos atordoados em notar o quanto sofremos em nossos relacionamentos. Não que antes as pessoas não sofressem com relacionamentos, mas na sociedade atual a vida sexual ativa de crianças, seguindo a base do Estatuto da criança e do Adolescente, que entende por criança os indivíduos até 12 anos incompletos, se faz mister observar quão alarmante é a realidade que nos cerca. Observação: não é idade que determina a hora para se viver a sexualidade e, sim o quanto estamos preparados para ela!

Há quem queira argumentar: antes se casava até com essa idade. Sim, mas o contexto era outro! Em nossos dias não se pensa a sexualidade pela ótica do matrimônio que supõe comprometimento, ainda que sem maturidade, havia mais cuidado de um para com o outro. Há questão a que nos propomos refletir tem haver com onde chegaremos com estas atitudes.

Muito mais que fazermos apontamentos acerca do que é pecado ou não, devemos atentar-nos sobre o quanto isto tem sido daninho para o jovem de hoje. Embora o plano de fundo de tais ações seja o desejo do prazer, da liberdade, da realização, de uma ruptura com uma estrutura arcaica, se quisermos assim pensar, o que fica é a pergunta: estamos realmente alcançando o almejado?

Uma médica chilena, de influência internacional, chamada Pilar Vigil tem prestado um grande trabalho de educação sexual através do projeto “Teen Star”, aplicando os princípios científicos em favor da dignidade do ser humano e sua sadia vivência sexual.

Em suas obras se percebe a grande preocupação com a realidade da sexualidade e suas implicâncias na integridade da pessoa, bem como sua busca por felicidade e, ao mesmo tempo as consequência da má compreensão desta tão importante dimensão do ser humano.

Ateremos-nos aqui a pesquisar e tratar deste assunto sendo auxiliado pela teologia do corpo do Santo João Paulo II e das pesquisas atuais a esse respeito, contaremos com a colaboração desse grande trabalho realizado pela doutora Vigil.

Como via de reflexão para nossos próximos artigos poderemos então pensar: qual a relação da sexualidade com nossas opções de vida? Até lá consideremos quem é Deus? O que nós somos? E o que ELE (Deus) em seu puro amor tem preparado para nós?

Deus nos abençoe!

Autor: Carlinhos Faria – Teólogo – Membro da Comunidade Javé Nissi

 

Comunidade Javé Nissi