A sexualidade no caminho da maturidade – A adolescência 1ª parte

A sexualidade no caminho da maturidade – A adolescência  1ª parte

Como vimos à infância é parte fundamental no caminho da maturidade humana. Nesta reflexão voltaremos nosso olhar para a adolescência que também é conhecida como período de transição. Muitos tentam definir o início e o termino desta etapa, contudo, fica cada vez mais claro que podemos até traçar seu início, porem sua continuidade foge aos nossos parâmetros, pois há quem diga que existem adolescentes de 70 anos.

O Estatuto da criança e do adolescente (ECA) refere-se à criança de 0 a 11 anos e ao adolescente de 12 a 17, considerando os de 18 acima como jovens. Muitos dizem que a adolescência começa no uso da razão, isto é, por volta de 7 anos. Não nos interessa aqui determinar um período e, sim ver sinais e possíveis consequências nesta transição. A adolescência já não é vista somente como transição na maturidade biológica, mas principalmente psicológica.

É um tempo marcado por descobertas, ente elas a puberdade, o namorico, a necessidade de autoafirmação etc. Dentre todas essas descobertas se sobressai à descoberta sexual, nem tanto com ênfase numa descoberta genital, mas de identidade, de atração!

Nesta fase o adolescente descobre o sim e o não, que não é imposto por alguém de fora, mas que ele vive em si mesmo, basta observar o sofrimento pela namorada (o) sonhada (o) ou o namoro terminado, ele vive literalmente o já e ainda não. Em potencial eles são tudo aquilo que sonham ou dizem, mas no real ainda há muito o que percorrer e muita frustração a superar. A superação e o desafio deveriam ser as principais marcas de uma adolescência sadia, algo bem diferente do que hoje vemos.

Mas do que nunca em nossos tempos a adolescência é marcada como a hora da descoberta sexual, não como teoria ou curiosidade, mas pela prática e a suposta liberdade por ela acarretada. Se o adolescente disser que é virgem tornasse cafona, se optar pela castidade é alienado, se quiser namorar é bobo. Contraditório e interessante! Interessante, pois estes pontos (desafio e superação = virtudes) deveriam ser a via percorrida para o amadurecimento salutar na sexualidade; Contraditório, pois não são poucos os médicos, psicólogos e sexólogos dentre tantos outros “ólogos” que dizem ser este o caminho que o adolescente deve percorrer (Liberdade = libertinagem). A mídia enfatiza de todas as formas que essa sexualidade deve ser vivida com intensidade, que não há um tempo determinado e, muito menos o sexo foi feito para ser vivido no casamento. Sem dúvidas que ela é ouvida e creditada, mas com a mesma precisão podemos dizer que ela esta errada!

São inúmeros os adolescentes que adentram totalmente imaturos tanto psicologicamente como biologicamente na vida sexual, sofrem com DSTs, gravidez precoce, desamparo médico e familiar etc. Não bastassem todas essas mazelas, muitos perdem a perspectiva de futuro (trabalho, estudos), sem contar os que perdem literalmente o futuro sendo vitimas fatais na drogadição, na violência, na prostituição etc.

Se puder falar de um caminho capaz de reverter este quadro, não resta duvidas que ele esta na religião! Somente no transcendente (Deus) o homem pode e deve buscar seu parâmetro, o descaso com a religião é o principal causador do caos social que vivemos atualmente! Na próxima edição prosseguiremos este raciocínio. Para o momento cabe-nos a seguinte pergunta: quais os parâmetros e valores regem nossa vida e família?

Comunidade Javé Nissi