Parece que apesar da vinda de Jesus, tudo continua tão difícil e complicado! Por que?

Parece que apesar da vinda de Jesus, tudo continua tão difícil e complicado! Por que?

No Natal vamos celebrar o nascimento de Jesus; parece que apesar da vinda Dele, tudo continua tão difícil e complicado! Por que? Gilberto de Franca – SP

Olá Gilberto, paz de Jesus para o seu coração. De fato, mais um natal se aproxima. Infelizmente, a data do nascimento de Jesus está a cada ano ficando mais secularizada, e por todo lado, enfeites e luzes nos convidam para ir às compras, mais do que ir ao encontro daquele que veio nos redimir. Mundo triste o nosso onde a felicidade momentânea está relacionada com aquilo que podemos comprar, mais do que com aquilo que somos e partilhamos.

Cercados pelos apelos consumistas o cristão fica, ele mesmo, mergulhado nesse ambiente mundano, por isso mesmo, àqueles que têm consciência da fé cabe resistir aos impulsos meramente comerciais do Natal e preservar a celebração do grande mistério de fé que recordamos:  Filho de Deus nasceu no meio de nós, fez-se homem para nos salvar e a cada natal essa verdade deve ganhar novo significado. Nesse ponto chegamos a sua pergunta: porque o nascimento de Jesus não transformou definitivamente a vida humana e as coisas parecem cada dia piores? Ora, o nascimento de Jesus, como fato histórico, trouxe um novo modo do ser humano relacionar-se consigo mesmo e com o outro, mas isso é sempre uma opção de fé.

Toda a vida de Jesus foi um esforço extraordinário para que a pedagogia do amor penetrasse no coração humano, mas infelizmente o amor não obriga, somente se propõe, ou seja, Jesus não pode obrigar ninguém a viver a lei do amor, somente pode oferecer essa possibilidade. Assim, escolher viver conforme o Evangelho demanda esforço pessoal e experiência concreta de relacionamento com Jesus. Só aquele que experimentou o amor de Jesus será capaz de decidir-se por ele. Por isso, o simples fato de ter nascido entre nós não é condição para que o mundo se transforme como num passe de mágica. Jesus precisa nascer no coração das pessoas.

Nesse ponto entra o esforço missionário da Igreja e dos seus membros, que ano após ano, incansavelmente, recorda aos homens e mulheres do mundo que é possível uma vida melhor, basta que aceitemos os ensinamentos de Jesus Cristo. Uma segunda perspectiva, de caráter teológico e não simplesmente histórico, oferece um segundo sentido ao nascimento de Jesus: ainda que nesse mundo a decisão de seguir Jesus seja pessoal, essa decisão será razão para a nossa glorificação Nele. Engajar-se no plano de Cristo na História é preparar nossa vida para o engajamento pleno e definitivo, quando chegar a hora de nosso “natal” último, quando nasceremos para o Reino de Deus.

A fé nos move para isso, mas será sempre uma decisão muito pessoal!

Tira Teima: Padre Evaldo César de Souza

Comunidade Javé Nissi